Igreja Una Santa Católica e Apostólica


Por que existem dois Credos?

21/07/2015 22:54

O símbolo dos Apóstolos e o Niceno-Constantinopolitano ocupam um lugar muito particular na vida da Igreja.

O Catecismo da Igreja nos explica por que temos um Credo (Rf. 185-197). Desde sua origem, a Igreja apostólica expressou sua fé em formas breves e normativas para todos, quis buscar o essencial de sua fé em resumos orgânicos e articulados, destinados sobre tudo aos candidatos ao batismo.

Esta síntese de fé não foi feita segundo opiniões humanas, mas tomou de toda Escritura o que é mais importante, para dar em sua integridade um único ensinamento de fé. A isto se chama “profissão de fé”, e também se chama “Credo”, já que sua primeira palavra é “Creio”. Dominam-se igualmente “símbolos de fé”.

Ao longo dos séculos, em resposta as necessidades de diferentes épocas, se elaboraram numerosos símbolos de nossa fé, por exemplo:

-Os símbolos das diferentes Igrejas apostólicas e antigas.

-O chamado símbolo de São Atanásio.

-A profissão de fé de certos Concílios como os de Toledo, Latrão, Leão, Trento, ou de certos Papas como a “Fides Damasi” ou “O credo do povo de Deus”, do Papa Paulo VI.


Nenhum destes símbolos compostos em diferentes etapas da vida da Igreja pode ser considerado como superado ou inútil. Ajudam-nos a captar nossa fé através dos diversos resumos que se fizeram. 

Agora passo a responder a pergunta, sobre o porquê dos dois que você conhece e sua diferença.

Entre os símbolos de fé, dois ocupam um lugar muito particular na vida da Igreja, estes são: O Símbolo dos Apóstolos e O Símbolo Niceno-Constantinopolitano. 

O Credo dos Apóstolos ou o Símbolo dos Apóstolos, é o curto, é chamado dos Apóstolos porque é considerado com justiça como o resumo de fé dos Apóstolos. É o antigo símbolo batismal da Igreja Romana. Sua grande autoridade prove do feito de que é o símbolo que guarda a Igreja Romana, a que foi sede de Pedro, o primeiro dos apóstolos, e a qual ele levou a doutrina comum.

O Credo Niceno-Constantinopolitano, é maior por ser mais explicito. Deve sua grande autoridade ao feito de que é fruto dos primeiros concílios ecumênicos, como seu nome o indica respectivamente, Concilio de Nicéia no ano 325 e o Concílio de Constantinopla no ano 381. Segue sendo hoje os símbolos mais comuns de todas as Igrejas do Oriente e do Ocidente.

Recitar com fé o Credo é recordar nosso Batismo e entrar em comunhão com Deus Pai, Filho e Espírito Santo, e também entrar em comunhão com toda a Igreja que nos transmite a fé e no seio da qual cremos.

 

Por: Servas dos Corações Transpassados de Jesus e Maria

TRADUÇÃO: TIAGO RODRIGO DA SILVA

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!