Os Santos Anjos

02/10/2013 18:33

Dia 02 de outubro é celebrada a festa dos Santos Anjos da Guarda.

Em um mundo cada vez mais materialista fica por vezes difícil de lembrarmos nossos amigos tão íntimos, que o próprio Deus nos enviou para nos proteger, nos guiar e nos governar.

Afinal de contas, o que é ou quem é o Santo Anjo?

Segundo o Catecismo da Igreja Católica, “Anjo (mensageiro) é designação de encargo, não de natureza. Se perguntares pela designação da natureza, é um espírito; se perguntares pelo encargo, é um anjo: é espírito por aquilo que é, é anjo por aquilo que faz”. Por todo o seu ser, os anjos são servidores e mensageiros de Deus. Porque contemplam "constantemente a face de meu Pai que está nos céus" (Mt 18,10), são "poderosos executores de sua palavra, obedientes ao som de sua palavra" (Sl 103,20).”

Os anjos estão presentes na história da humanidade desde a criação do mundo (cf. Jó 38,7); são eles que fecham o paraíso terrestre (Gn 3, 24); protegem Lot (Gen 19); salvam Agar e seu filho (Gen 21,17); seguram a mão de Abraão para não imolar Isaac (Gen 22,11); a Lei é comunicada a Moisés e ao povo por ministério deles (At 7,53); são eles que conduzem o povo de Deus (Ex 23, 20-23) eles anunciam nascimentos célebres (Jz 13) indicam vocações importantes (Jz 6, 11-24; Is 6,6); são eles que assistem aos profetas (1Rs 19,5). Foi um  anjo que anunciou a Gedeão que devia salvar o seu povo; um anjo anunciou o nascimento de Sansão (Jz 13); o anjo Gabriel instruiu a Daniel (8,16), ainda que aqui não seja chamado de anjo, mas “o homem Gabriel” (9,21). Este mesmo espírito celestial anunciou o nascimento de São João Batista e a encarnação de Jesus; os anjos anunciaram a mensagem aos pastores (Lc 2,9), e a missão mais gloriosa de todas, a de fortalecer o Rei dos Anjos em sua Agonia no Horto das Oliveiras (Lc 22, 43).

Nos Evangelhos eles aparecem na infância de Jesus, nas tentações do deserto, na consolação do Getsêmani; são testemunhas da Ressurreição do Senhor, assistem a Igreja que nasce e os Apóstolos, enfim… prepararão o Juízo Final e separarão os bons dos maus.

 

Hoje muitas vezes somos bombardeados por todos os lados de “vários tipos de anjos” seja em imagem gráfica, sejam em porcelanas, anjinhos com rosto de criança, de mulher e assim temos uma variedade de anjos de acordo com a capacidade de criatividade de cada um.

Para nós Católicos, o Santo Anjo é por excelência um cumpridor da vontade de Deus em nossas vidas. É aquele a quem Deus nos deu para nos conduzir no caminho da santidade, da reta intenção, do amor inflamado pelo Reino de Deus e sua vontade.

Os anjos são espíritos puros, ou seja, não tem matéria, não tem corpo mortal como nós temos, por isso são imortais.

No princípio Deus criou o Céu e a Terra” conforme está escrito no primeiro capítulo do primeiro livro da Sagrada Escritura, o Gênesis. Nos mostra a criação de Deus: os Anjos _ seres perfeitos em vontade e sabedoria. Assim também nos fala São Paulo “Nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as criaturas visíveis e invisíveis, Tronos, Dominações (ou Soberanias), Principados, Potestades (ou Autoridades): tudo foi criado por Ele e para Ele” (Cl 1, 16).

Atenção: Deus criou os Anjos, ou seja, eles não são emanações divinas como propagam algumas seitas, são criaturas como eu e você o somos, mas que devem ser honradas e amadas. “Se alguém disser que as coisas finitas, quer sejam corpóreas, quer espirituais são emanações da substância divina… seja anátema” (Contra o Panteísmo,  Cânon 4).

Durante a grande batalha no Céu, houve anjos que se rebelaram contra vontade de Deus e se uniram a Lúcifer, tornando-se assim demônios e foram destinados ao inferno.

Os demônios também são anjos, seres espirituais que por suas próprias vontades ao rebelarem contra Deus foram varridos do céu. (Veja em  Ap 12,7)

O diabo e os outros demônios foram por Deus criados bons, mas por livre iniciativa tornaram-se maus.  O homem pecou por sugestão do diabo.”(DS 800 [428]), como atesta o Concilio de Constantinopla I no ano de 381.

Atualmente existe uma corrente mística que tem despertado o interesse de várias pessoas, inclusive de famosos sobre os anjos, embora muito errada, que é a cabala.

Os anjos cabalísticos são em definitivos contrários a fé católica e a Revelação Divina, visto que a Cabala é uma filosofia exotérica baseada em ensinamentos judaicos, que acreditam em reencarnação, em magia, abrangendo numerologia, astrologia, necromancia e outras práticas condenadas pela sã doutrina dos apóstolos e seus sucessores.

Portanto é preciso ter certo conhecimento dos Santos Anjos para não cair nestas histórias “místicas” que são faladas, principalmente na mídia secular e seus artistas.

Muitos querem aquele anjinho que com cara de bobo, sempre risonho  pro nosso lado, que sempre faz aquilo que queremos, nos trazendo soluções imediatas.

Mas a doutrina católica, escrita pelos Santos Padres, doutores e santos não nos diz isso; vejamos pelo exemplo de Santa Gemma Galgani, que conversava com o seu Santo Anjo como dois amigos conversam.

Ele sempre a repreendia, mesmo ela nunca tendo cometido pecado mortal algum. Mas ele sempre estava do lado dela, a fortalecendo na fé e na caminhada rumo à santidade.

Já dizia Bossuet: “Os anjos oferecem a Deus as nossas esmolas, recolhem até os nossos desejos, fazem valer também diante de Deus os nossos pensamentos… Sejamos felizes de ter amigos tão prestativos, intercessores tão fiéis, intérpretes tão caridosos”.

Leia mais: Os nove coros dos Anjos

Pax

Por Leonardo de Souza

Voltar