O dia em que a Igreja apareceu ao mundo

07/06/2014 15:32

“Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um barulho como se fosse uma forte ventania, que encheu a casa onde eles se encontravam. Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os inspirava.” At 2,1-4.

 

No momento em que o soldado transpassa o Coração de Nosso Senhor na Cruz nasce a Igreja, sua dileta Esposa (A água do Batismo e o Sangue da Eucaristia). Nasce mas não se manifesta. Fica ali, esperando o momento decisivo de entrar para a história da humanidade e mudar para sempre o homem.

O Senhor Jesus prometeu o Espírito Santo, o Defensor, o Consolador e acima de tudo o Inspirador dos “Sete Dons” da qual todo batizado recebe no momento do Batismo (Fortaleza, Sabedoria, Ciência, Conselho, Entendimento, Piedade e Temor de Deus).

Com tudo isso Ele liberta o coração dos Apóstolos do medo dos homens e os fazem corajosos, destemidos e sábios.

Nos tempos atuais falamos muito de unidade, união, universalidade etc e tal, mas se prestarmos atenção logo no primeiro versículo dos Atos dos Apóstolos (At 2,1) é sinal da Igreja a unidade dos Apóstolos – “estavam todos reunidos no mesmo lugar”, ou seja, não aconteceu o mesmo quando Jesus apareceu a alguns discípulos, que fez até mesmo Tomé (Jo 20 24-29) duvidar do ocorrido porque o Espírito Santo só se manifesta quando todos os discípulos estão juntos. Pois um só é o Espírito (1 Cor 12,11-12)

Estavam em oração, pra entender as palavras do Divino Mestre, o que iria acontecer. Entra outra parte importantíssima, orar sem cessar.

A oração é o principal meio para que o Espírito Santo possa vir e agir em nós e por nós. Ele quem nos ensina, nos instrui, nos corrigi, nos forma.

Outra característica fundamental: Estavam reunidos em oração com a Virgem Maria.

Ora quem mais poderia interceder nesta hora senão aquela que estava pela do mesmo Espírito? Quem mais poderia incentivar a pedir tamanha graça senão Aquela que sabia da gloria que era ser inebriada do Fogo do Céu?

É impossível ser sensível ao Espirito Santo sem antes ser sensível à Mãe daquele que O enviou.

A manifestação da Igreja ao mundo acarretou eventos drásticos à vida daqueles que foram inundados pelo Espírito Santo, levando-os até mesmo ao ápice: o testemunho de sangue – o martírio!

Ninguém diz que Jesus Cristo é Senhor se não for pelo Espírito Santo, muito menos morrer por Ele.

E assim a Igreja foi crescendo tal qual como Nosso Senhor: em estatura, graça e sabedoria! Os Apóstolos como homens imperfeitos que eram precisaram ser bem modelados para que pudessem levar até o fim do mundo o Evangelho da Graça de Nosso Deus e Senhor Jesus Cristo e aquentar até o sangue o que quer que fosse acontecer.

Não se pode acreditar em igrejas que não tem os Apóstolos como fundamento, senão fica uma casa sem alicerce ou carro sem chassi... Não existe!  Se recorremos todo o Novo Testamento sempre veremos a multidão neo-convertida na busca de ouvir a voz daqueles que comeram e viveram com o Senhor e quando se rompe este laço, rompe também a unidade com o Espírito Santo.

Ele poderá agir em alguém que está nesta ruptura? Sim claro! Mas será bem mais difícil a salvação. Os obstáculos serão bem maiores, porque a graça alcançará algumas barreiras difíceis de quebrar, como vimos Pedro, “brigando” com Deus no episódio dos répteis que ele teria que comer... Como chamar de impuro ao que Deus purificou?(At 10,15) Como não fazer de conta que a Igreja Católica não é criada por Jesus ou mesmo que Ele a quis? Não precisa de um teólogo, ou documentos sobre este assunto, veja os testemunhos daqueles que por Ela viveu e morreu. Os santos e as santas sempre estiveram no meio do povo para mostrar o Caminho, a Verdade e a Vida!

Busquemos a graça de reconhecer a verdade que sempre nos libertará de todo mal que há neste mundo. Peçamos neste dia de graça os dons e o ardor que permeou a mente e o coração de Pedro, Tiago, João e que gerou no ventre da Virgem Maria o Salvado do Mundo: Jesus Cristo Nosso Senhor!

A Ele honra, Glória, Louvor, Adoração pelos Séculos dos Séculos. Amém!

 

Veni, creator Spiritus

mentes tuorum visita,

imple superna gratia,

quae tu creasti pectora.

Vinde, Espírito criador,

visitai as Vossas almas;

enchei com a graça do alto

os corações que criastes.

Qui diceris Paraclitus,

altissimi donum Dei,

fons vivus, ignis, caritas

et spiritalis unctio.

Sois chamado Consolador (Paráclito),

altíssimo dom de Deus,

fonte viva, fogo, caridade

e unção espiritual.

Tu septiformis munere,

digitus paternae dexterae

tu rite promissum Patris

sermone ditans guttura.

Vós que sete dons tendes,

o dedo da direita de Deus,

solene promessa do Pai

que as palavras inspirais.

Accende lumen sensibus,

infunde amorem cordibus,

infirma nostri corporis,

virtute firmans perpeti.

Iluminai os sentidos,

infundi o amor nos corações,

fortalecei os nossos corpos

fortalecei-os [de virtude] para sempre.

Hostem repellas longius

pacemque dones protinus;

ductore sic te praevio

vitemus omne noxium.

Afastai para longe o inimigo,

dai-nos a paz sem demora;

e assim guiados por Vós,

evitaremos todo o mal.

Per te sciamus da Patrem

noscamus atque Filium,

te utriusque Spiritum

credamus omni tempore.

Fazei-nos conhecer o Pai,

e revelai-nos o Filho,

para acreditar sempre em Vós,

Espírito que de ambos procedeis.

Deo Patri sit gloria,

et Filio qui a mortuis

Surrexit, ac Paraclito,

in saeculorum saecula.

Amen.

Glória seja dada ao Pai,

e ao Filho, que da morte

ressuscitou, e ao [Espírito] Paráclito,

pelos séculos dos séculos.

Amen.

V. Emitte Spiritum tuum, et creabuntur: R. Et renovabis faciem terrae.

V. Venha o Vosso Espírito, e criai. R. E renovai a face da TErra.

 

 

Leonardo de Souza

Voltar