Igreja Una Santa Católica e Apostólica


Lectio Divina - Solenidade de São Pedro e São paulo

01/07/2017 23:54

"Quanto a mim, estou a ponto de ser imolado e o instante da minha libertação se aproxima" 2Tm 4,6

 

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém


São Pedro e São Paulo, colunas da Igreja! O que Deus pode nos ensinar através destes homens? Um recebe a revelação do Pai e reconhece Cristo como Filho do Deus Vivo, mas nega deliberadamente o Senhor, abandona-O nas Suas horas decisivas; o outro, um fiel judeu, cumpridor com esmero da Lei mosaica, mas que não reconhece a Cristo como o Messias enviado e torna-se um  terrível perseguidor de cristão.

A sabedoria e onisciência divina, no entanto, superam infinitamente o entendimento humano: Cristo não retira a primazia de Pedro dada quando este afirmou que Jesus era o Filho de Deus Vivo¹; pelo contrário, reafirma-a pedindo por três vezes que o primeiro papa apascente Suas ovelhas²; Cristo não deixa que Paulo se perca numa estéril vida de perseguição; ao contrário, vem ao seu encontro em Damasco, revela-se a ele³ e conduz Paulo a revela-Lo para os pagãos.

Ambos, apesar das falhas e equívocos em suas vidas, morrerão por Cristo; ambos serão martirizados pela fé no Filho de Deus. O trecho da carta a Timóteo é a despedida de S. Paulo antes de ser morto. Também Pedro será morto, não no trecho da leitura de hoje, mas o será depois em Roma. Indepentedentemente das suas fraquezas, Deus os fortalecerá para suportarem tudo por amor de Cristo.

As leituras dos Atos dos Apóstolos  e da Carta a Timóteo desta solenidade revelam-nos duas realidades que sempre estarão presentes na vida da Igreja e de seus filhos.  A primeira é que o mundo, muitas vezes por meio de seus governos e tribunais (vide Herodes) e das ideologias, incessantemente perseguirá a Esposa de Cristo e nos ameaçará com o sofrimento e a morte. Através desta perseguição – muitas vezes velada – tornar-nos-á motivo de chacota, espetáculo circense para um público sempre ávido por nossa ridicularização. Esta perseguição atacará, direta ou indiretamente, nossos valores, aquilo que defendemos e tudo que cremos; em suma, o que o mundo deseja para nós é que pereçamos.

A outra realidade diz respeito à força da oração por meio da Comunhão dos Santos. Enquanto S. Pedro estivera preso, a comunidade dos fiéis  "orava sem cessar por ele a Deus"4 e ele foi liberto. Já Paulo alcançou o ápice da oração que está na oferta da própria vida a Cristo e graças à Comunhão dos Santos, os méritos do martírio de S. Paulo foram usados para que muitos aderissem à fé em Cristo. A oração, portanto, nas nossas vidas tem um poder indescritível.

Essas realidades que emanam da Solenidade dos Apóstolos Pedro e Paulo, remetem-nos ao acontecimento desta semana, ao qual o mundo, ou parte dele, assistiu estarrecido: a decisão de um tribunal de impedir que o pequeno Charlie, por meio de seus pais, lutasse pela vida.

A fé em Cristo mostra-nos que a vida tem um valor inestimável, inalienável. Essa verdade de fé, o mundo combaterá de todas as formas. Materialista e hedonista, o mundo reduz a vida e a pessoa humana à condição de coisa, passando a valer apenas por quanto possa produzir, quanto seja perfeito e belo externamente, quanto possua materialmente.  A vida, nessa cultura de morte, portanto, torna-se descartável e pode, por conseguinte, ser atacada no primeiro instante de existência, no declínio da força vital e agora, como ficou escancarado nessa última semana, em qualquer fase da vida!

Sim, o mundo continua por meio dos governos, tribunais e ideologias atacando e ameaçando-nos com a morte!

Por outro lado, este episódio mostrou-nos também a outra realidade que as leituras deste domingo trazem: o poder da oração!! Se pela intercessão dos cristãos, Pedro foi salvo das mãos de Herodes; se pelo martírio de Paulo (plenitude da oração) muitos se converteram; se pela oração guerras vencidas; creiam: não foram hashtags em rede sociais, não foram apelos a rainhas ou bispos que deram ao Charles e aos seus pais a possibilidade de ainda lutar pela vida, tal coisa foi realizada, sim, pela oração!!!

Pela comunhão dos santos, Deus usa dos méritos das nossas orações para converter corações e vidas!

Portanto, que nesta solenidade, S. Pedro e São Paulo nos ensinem que, como Igreja, devemos estar dispostos e prontos a enfrentar tudo por Cristo, enfrentar a perseguição de morte que não cessará contra nós.
Que a Santíssima Virgem, a Onipotência Suplicante, ajude-nos a sermos perseverantes e constantes na oração, crendo firmemente que mesmo diante todos os ataques as portas do inferno não prevalecerão contra Igreja.

Laus Deo

Wellington Vieira

 

Leituras

At 12,1-11
Salmo - 33/34
2 Tm 4,6-8. 17-18
Mt 16,13-19

 

Notas

1 - cf. Mt 16,18
2 - cf. Jo 21, 16s
3 - cf. At 9, 3-6
4 - At 12, 5b
 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!