Igreja Una Santa Católica e Apostólica


Lectio Divina - Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo

26/11/2017 14:42

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo . Amém

Hoje a Igreja comemora a Festa de Cristo Rei do Universo, a Esposa de Cristo celebra a Realeza do Seu Esposo!

Esta linda festa foi instaurada pelo Papa Pio IX e era comemorada até a reforma litúrgica de 1969 no último domingo de outubro, antecedendo e dando um sentido maior às Comemoração de Todos os Santos e dos Fiéis Defuntos. Posteriormente passamos a comemorar a Festa na última semana do Tempo Comum, no fim de um ano litúrgico e início de outro, indicando que Jesus é o Fim, o Ápice e o Sentido de toda a vida cristã.

De fato, Jesus é Rei – “..eu sou rei. Eu nasci e vim ao mundo para isto: para dar testemunho da verdade" (Jo 18,37b) – entretanto precisamos cuidar para que esta festa e essa afirmação não gerem em nós somente um sentimento de euforia infrutífera.  Por isso, não podemos deixar de nos remeter à motivação que levou a Igreja a instituir esta comemoração:  proclamar solenemente perante os homens o reinado social de Jesus. Rei das almas e das consciências, rei das inteligências e das vontades, Jesus Cristo, rei das famílias, da cidade, do povo, da nação, do mundo todo.

A Igreja proclamava naquele momento a realeza completa de Jesus para lutar contra um mal naquele tempo que é ainda mais presente no mundo de hoje: o laicismo. É a tentativa do mundo de separar o ser religioso do ser social. Impedir que possamos manifestar nossa fé e valores em todos os setores da sociedade, relegando só à esfera particular de nossas vidas ou nos ambientes de igreja o nosso ser católico, o nosso ser religioso. Em última instância separar Cristo Deus da sociedade.

Infelizmente, avaliando-nos com sinceridade, cedemos por demais a esta mentalidade laicista. Pensemos o quanto escondemos, ocultamos, negamos, omitimos, negligenciamos a nossa dimensão religiosa, aceitando ou por vergonha, ou por medo ou por falta de fé esta imposição do mundo.

Esta festa precisa restaurar a realeza de Cristo em nossas  almas, em nossas vidas! Precisamos permitir que  Jesus reine em todas as áreas da nossa existência, onde quer que estejamos, no que quer que  façamos.

Por que? Porque Nosso Senhor é um Rei exigente, sim. Cristo não é um rei fanfarrão, relaxado e ao nosso bel prazer como o laxistas querem anunciar. Não! Jesus não é o “gato da balada”! Jesus é sumo Rei!!!!  Um  rei que exige atitudes de seus súditos: nós!! É um rei que cobra de nós, portanto, aquilo que Ele mesmo realizou, pois Ele não é um rei distante, mas um rei que veio ao mundo, fez-se um como nós, conheceu na carne nossas dores.

Comprovamos isso pelas leituras de hoje:  o profeta anuncia que o próprio Deus cuidará do seu rebanho - A ovelha perdida eu a procurarei; a desgarrada, eu a reconduzirei; a ferida, eu a curarei; a doente, eu a restabelecerei, e velarei sobre a que estiver gorda e vigorosa. Apascentá-las-ei todas com justiça (Ez 34,16). E sabemos que Cristo, que é Deus, encarnou-se e cumpriu aquilo que Ezequiel profetizara.

Na segunda leitura vemos o apóstolo Paulo ensinar que Cristo ressuscitará e reinará, Ele como primícias e em seguida os que forem dEle (cf ICo 15,23). Mas podemos nos perguntar: quem são esses de quem o São Paulo fala? E a resposta o próprio Senhor nos dá no Evagelho: aqueles saciaram a fome e a sede, vestiram, acolheram, visitaram na doença e na prisão o próprio Cristo na pessoa do mais pequenino.  (cf. Mt 25, 34-36)

Vejamos bem, somos de Cristo na medida em que nos conformamos ao próprio Jesus, reinaremos com Cristo na medida que realizarmos em nossa vida aquilo que Ele mesmo realizou. É Ele mesmo que impõe esta condição. Tal como nos ensinava um escrito antigo, essa condição só pode ser alcançada quando nos submetemos totalmente à realeza de Cristo, isso se dá quando: unimo-nos em tudo a Ele que é a Luz do mundo, o Caminho, a Vida, a Videira; reconhecemos que Cristo é Deus; buscamos ter uma vida ligada à graça pelos sacramentos, especialmente a Eucaristia; confiamos plenamente nEle, unimo-nos à Sua Igreja que é seu Reino; combatemos claramente e decisivamente contra o mundo, afastamo-nos dos erros mundanos e; por fim, quando anunciamos o seu Reino a toda criatura.

Em suma, realizar as exigências que Cristo Rei nos faz não é possível se cedemos àquilo que o mundo quer-nos impor, pois ao cedermos impedimos o reinado de Cristo em nós, nas nossas vidas. Limitamos a ação do Espirito Santo que pode fazer  crescer em nós um amor cada vez maior a Cristo.

Que essa festa desperte em nossos corações a firmeza de verdadeiros súditos de Nosso Senhor, um Rei que tem Sua Glória manifestada ao mundo estando pregado na cruz para com Seu sangue real nos dar a Salvação.

Viva a Cristo Rei!

 

por Wellington Vieira

 

 

Leituras

1a Leitura - Ezequiel 34,11-12.15-17

2a Leitura - 1 Coríntios 15,20-26.28

Evangelho - Mateus 25,31-46

 

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!