Igreja Una Santa Católica e Apostólica


Lectio Divina - Festa da Assunção de Nossa Senhora

20/08/2017 10:41

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo

 

“A minha alma engrandece o Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, porque olhou para a humildade de sua serva.”

Celebramos hoje a Solenidade da Assunção da Virgem Maria, mas lembrando que a memória deste dia é 15 de agosto, só que no Brasil transfere-se para o Domingo.

No primeiro dia de novembro de 1950, por meio da Constituição Apostólica Munificientissimus Deus, o Papa Pio XII promulgou este dogma da Assunção de Nossa Senhora ao céu com o seu corpo e sua alma. É bom salientarmos que Maria foi “privilegiada” com algumas graças não por Ela, mas sim por Aquele que iria nascer no seu ventre.

Maria soube viver a graça concedida a ela: “encontraste graça diante de Deus”. É só voltarmos ao versículo que foi iniciado esta lectio. Ela reconheceu que era pobre, humilde, ou seja, necessitada de Deus que sem Ele nada é possível. As poucas menções que o Evangelho faz de Maria sempre ela nos contempla com a humildade: “guardava todas as coisas no seu coração”, “fazei o que Ele vos disser”. Nossa Senhora nos ensina a todo instante depender de Deus, e, sabemos qual foi a conseqüência na vida dela, SER HUMILDE: “donde me vem a honra de vir a mim a MÃE do meu Senhor?” esta exclamação é de sua prima Santa Izabel que está narrada neste Evangelho no versículo 43.

Nossa Senhora foi contemplada com a coroa da vida eterna e, não somente isto foi elevada acima dos anjos e dos santos, e o interessante na sua vida é que não atrai para si a glória, mas diz: “a minha alma engrandece o Senhor”.

Fica para nós o exemplo da Virgem Mãe, escutar de Deus e responder sim, sempre que o Senhor nos chamar: “eis aqui a(o) serva(o) do Senhor, faça-se em mim sua vontade”

Quero terminar essa brevíssima explanação com um treco da Constituição do Papa Pio XII: “Cristo, com Sua morte, venceu o pecado e a morte e sobre esta e sobre aquele alcançará também vitória pelos merecimentos de Cristo quem for regenerado sobrenaturalmente pelo batismo. Mas por lei natural Deus não quer conceder aos justos o completo efeito dessa vitória sobre a morte, senão quando chegar o fim dos tempos. Por isso os corpos dos justos se dissolvem depois da morte, e somente no último dia tornarão a unir-se, cada um com sua própria alma gloriosa. Mas desta lei geral Deus quis excetuar a Bem-Aventurada Virgem Maria. Ela, por um privilégio todo singular venceu o pecado; por sua Imaculada Conceição, não estando por isso sujeita à lei natural de ficar na corrupção do sepulcro, não foi preciso que esperasse até o fim do mundo para obter a ressurreição do corpo.

Regina in caelum assumpta, ora pro nobis

Por Helder Filho.

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!