Igreja Una Santa Católica e Apostólica


Lectio Divina do 3º Domingo da Quaresma

22/03/2014 14:13

A fonte no deserto

“Quando reconhecerdes a minha santidade, eu vos reunirei de todas as nações. Derramarei sobre vós uma água pura, e sereis purificados de todas as faltas. Dar-vos-ei um espírito novo, diz o Senhor”. (Ez 36,23-26).

A Sagrada Liturgia deste domingo do Senhor nos recorda que, a Quaresma é um alto monte pelo qual devemos subir, mas, ao mesmo tempo, é uma fonte a que temos de descer, e que devemos voltar. A água é desejada pelos que estão no deserto, e com a própria vida, mas onde encontrá-la? É uma oferta voluntária: surge de uma rocha de salvação que é o próprio Deus, e que conjuntamente é anúncio da água viva que Cristo Senhor nosso. Essa dádiva nos é dada porque sabe Deus que o deserto é o espaço em que nossas forças e recursos, não bastam. É o deserto de nossa vida também o lugar da profunda esperança no Senhor e de encontro com Ele... E assim, dá-nos água para beber... Nascemos para uma nova vida... E pela fé e esperança, reviveremos... Bem certos de que tão sedentos, nos deixamos guiar por Ele, até a Água Viva que só pode vir de Deus.

A fé que me coloca numa justa relação com Deus, uma relação de salvação, e a esperança, que é a certeza que não engana, devem estar fundadas no dom do Espírito Santo, Senhor e princípio interior de vida nova, esse amor de Deus já derramado em nossos corações, como água viva que se derrama sobre todos nós. É o amor encarnado na morte de Cristo pelos pecadores, desprezadores do próprio amor de Deus. Não há pecador que possa resistir ao Deus, fonte de vida, que derramada sobre ele, é capaz de gerar frutos de eternidade.

Há tantas fontes onde o ser humano tem procurado beber, mas jamais alcançam seu refrigério. Por que será? E ainda... Porque insistimos em tragar água contaminada? Há somente uma fonte de água viva que pode saciar a sede de cada um de nós, Jesus. Nessa fonte vemos curadas nossas feridas, temos perdão para nossos terríveis pecados, temos mudança de coração, nos dá nova natureza e vida abundante, e essa fonte passa a fluir a partir de nós. O Senhor Jesus, como fez com a samaritana, nos provoca nesta quaresma ao profundo arrependimento. A vida daquela mulher foi transformada à beira do poço. Ela permitiu que o Senhor revolvesse os “entulhos”, bebeu da água que Ele lhe oferecia e rendeu-se por completo. Teve um coração tão inundado por uma felicidade, a qual não conhecia, vendo florescer dentro de si um novo ardor.

Não importa o quanto imaginemos não ser necessário isso, o de viver a simplicidade desse momento de ir hoje até Jesus... Se consideramos que estamos “transbordando”, nunca é demais beber Dele, de Sua Graça, é inesgotável e de eterna riqueza. Se estamos sedentos, o Senhor está nos dizendo hoje para irmos até Ele e beber. Quanto mais bebermos, mais queremos, quanto mais se quer, mais se tem para beber; e do nosso interior poderão correr rios de águas vivas. Eis a responsabilidade e compromisso a que nos chama a lectio: predispormo-nos a acolher diariamente o dom vivo derramado sobre nós, que é o Espírito Santo, Água Viva, e o frescor da fé, com essa imensa vontade de a querer comunicar, fluindo de nós ao irmão.

Peçamos ao Senhor que bebamos continuamente em Sua Fonte, procurando sempre saciados em nossa vida, saciar também nossos irmãos. Que Ele cure nossas feridas, que limpe nossos pecados e transforme nosso coração. Coloquemos nosso coração junto ao da Mãe Maria, que possamos com Ela usufruir da vida abundante e da fonte inesgotável de Graças que nos dá Seu Filho, e que da qual é Tesoureira dessas riquezas, oferecidas a todos nós.

Uma santa e abençoada semana a todos.

Por Carlos Guilherme Pereira Junior

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!