Igreja Una Santa Católica e Apostólica


Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo e 34º Domingo do Tempo Comum

23/11/2013 19:07

“Tu és a causa de que por amor de Teu Filho, possamos repetir com todas as forças do nosso ser, com a alma e com o corpo: Convém que Ele reine”. (São Josemaria Escrivá)

Encerra-se hoje o ano litúrgico com a Solenidade de Cristo Rei e Senhor, celebração global de seu ministério de grandeza divina e de amor infinito, de um rei com coração de carne, como o nosso, que é o autor do universo e de cada uma das criaturas.  Peçamos para o início desta lectio, que o Espírito Santo nos ajude a entrar na escuta e meditação da Sua Palavra:

Pedimos-te, Senhor, que nos faça conhecer aquilo que amamos, pois não procuramos nada fora de Ti. Tu és Tudo para nós: a nossa vida, a nossa salvação, o nosso alimento, a nossa bebida, o nosso Deus. Eu te peço, Ó Jesus, que inspire os nossos corações com o sopro Teu Espírito e que transpasses com o Teu Amor as nossas almas, para que cada um de nós possa dizer com toda a verdade: faze-me conhecer aquele que minha alma ama; estou realmente ferido pelo Teu Amor. Desejo que aquelas feridas estejam impressas em mim, Ó Senhor. Feliz a alma transpassada!  Ela procurará a fonte, e dela beberá. Bebendo dela, dela terá sempre sede. Desse, dessedentando-se, desejará ardorosamente aquele de quem tem sempre sede, mesmo bebendo dele continuamente. Assim, para a alma, o amor é sede que procura com paixão, é ferida que cura. Amém! (São Columbano).

Tomando os textos de hoje em 2Sm  5,1-3; Sl 121, 1-5; Cl 1,1-2-20; Lc 23,35-43;  leia-os atentamente, e num profundo silêncio, permita que Sua graça o ilumine neste tempo favorável de oração.

 

Vemos hoje na primeira leitura o relato da unção de Saul para rei e pastor de Israel – figura profética de Cristo, Rei e Pastor de todos os povos – realizando-se assim a palavra do Senhor conforme 1Sm 16,1-13. Na segunda leitura, Paulo também entra neste tema, reconhecendo e exaltando aí a realeza de Cristo. No Santo Evangelho é o ladrão, que iluminado pela fé e, primeiro entre todos a reconhecer a realeza de Jesus, mesmo que escarnecida e repelida. Reconhece-a não perante Cristo glorioso e sim, perante Cristo humilhado, e agonizante na cruz.

Estes homens entenderam algo essencial para a vida de todos: É o Senhor, o Cristo que deve reinar, acima de tudo, na nossa alma! É claro, se pretendemos que o meu Senhor reine, temos que ser coerentes, começando por lhe entregar o nosso coração. Se não fizermos isso, falar do seu reinado será vazio, manifestação externa de uma fé inexistente. Podemos cair na tentação de achar que a condição para que Ele reine em nossa alma, fosse contar previamente com um lugar perfeito dentro de nós, teríamos assim muitos motivos para entrar em desespero. Mas algumas perguntas ressoam em nós: Como te deixo Senhor reinar em mim? Estou atento, aberto a tua graça abundante, e sensível aos seus apelos na minha alma?

Ao examinar nossa consciência, percebemos pela Palavra, que este reinado de Cristo em minha alma, por uma vida interior capaz de produzir uma irradiação, uma manifestação do Divino, é tão eficaz para nós, quanto para outros. E este reinado se propaga a partir de nós, de nossa docilidade, e assim, como o sol torna mais brilhante o cristal que toca e penetra com seu raio, assim o Espírito Santificador – torna em nós esse reinado possível – torna mais luminosas as almas onde habita e estas, devido a tal presença – do reinado de Cristo – tornam-se por sua vez, outros tantos focos que difundem em torno de si a graça e a caridade.

É Cristo em nós, seu reinado em nós, que nos torna felizes, capazes de difundir, de irradiar fé onde quer que estejamos, pois muitos não suportam que Cristo reine. Opõem-se a Ele de tantas formas, sejam nas estruturas gerais do mundo na convivência humana, nos costumes, na ciência, na política, na arte, na Igreja, e devemos retemperar-nos na fé diariamente! Somos capazes de irradiar esperança! E como não falar, ao mundo sobre a nossa esperança? E temos um meio por excelência de nos fazer-nos ouvir pelos homens: manifestar a eles o segredo de carregar alegremente as cruzes, de superar os sofrimentos e aprender do Senhor que amou e venceu na cruz! Também somos capazes de irradiar caridade, bondade, humildade, firmeza e doçura... E caso nos venha que um dia nos esqueçamos do quanto somos capazes destas maravilhas no mundo, foi porque não quisemos mais seguir o Salvador, que fez da cruz que levava o Seu trono; porque perdemos a coragem e a fé de como o bom ladrão, reconhece-lo como o Homem das Dores, castigado por nossos pecados, o Servo Fiel, e de imita-lo na cruz.

Oremos então para que não nos aconteça essa desgraça. Pois como poderemos nós pregar ao mundo essa guerra santa contra as paixões à qual Nosso Rei e Senhor nos convida?! Que a Virgem Maria nos auxilie e alcance de Seu amado Filho a capacidade de irradiar Seu Reino de Amor nesta terra! 

Santa semana a todos e que viva Cristo em nosso coração.

 

Por Carlos Guilherme

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!