Domingo de Páscoa

31/03/2013 18:16

Primeira Leitura: (Atos 10, 34a.37-43) Segunda Leitura: (Cl 3, 1-4) Evangelho: (Jo 20,1-9)

Lectio Divina

Aleluia, Aleluia, Aleluia! O Senhor esta vivo, Ele ressuscitou!

Hoje domingo de Páscoa, celebração da vitória de Cristo sobre o pecado e a morte e convite à vida e a graça. Todos nós cristãos inseridos no Corpo Místico de Cristo que é a Igreja, pelo batismo, assumimos em nós a graça e a vida, ou melhor, podemos assumir a graça e a vida!

As leituras de hoje nos demonstram isso; primeiramente vemos no livro dos Atos, a pregação da Igreja, Pedro que é testemunha ocular, da ressurreição ele que é o chefe da Igreja é o primeiro a adentrar no Sepulcro e constatar: - Esta vazio! Note que João, discípulo mais jovem, correu na frente e é claro chegou primeiro que Pedro, mas não adentrou, aguardou na porta á espera de Pedro, e este adentra por primeiro. João já entendia e respeitava o ministério de primazia de Pedro, e o mesmo Pedro é o que vai confirmar a todos do colégio dos Apóstolos, aquilo que ele contemplou: - O Sepulcro esta vazio!

Agora podemos voltar ao primeiro pensamento, o do batismo, onde somos inseridos na morte (imersão) e ressurreição (ressurgir), de Cristo, para a vida e a graça. Todos cristãos batizados possuem esta abertura  à vida e para graça, após o seu batismo, mesmo que na infância, pois somos inseridos na vida de Cristo e também em sua graça, mas o batismo não é uma fonte “mágica” de salvação, não é a FONTE DA JUVENTUDE, tão cobiçada nos contos de fadas, assim como a Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo não foi e nem é algo imaginário, mas real, verdadeiro e histórico.

Paulo em sua carta exorta a vida nova após o batismo, “à vida de graça e na graça”, pois apesar de mergulhados nesta fonte do batismo, ainda é exigido de nós as obras da Ressurreição, a vida de Ressuscitados e quem nos ensina a viver á vida de graça e na graça é a testemunha ocular, na pessoa de Pedro – A IGREJA.

O preço da nossa salvação Cristo pagou, mas não é garantia de minha salvação pessoal, ou seja, não basta ao cristão o ato do batismo para a salvação é necessário à vida de batizado após o sacramento; ou acreditas que no Inferno não tenha pessoas que foram batizadas?

Receber os méritos da Páscoa sobre nossas vidas foi um ato de puro amor gratuito de Deus para conosco, abrindo a nós o Céu, mas receber o Céu é agora o nosso ato aqui nesta vida de amor para com Deus.

 

Por Junior Mathias

Voltar