21º Domingo do Tempo Comum

26/08/2013 16:44

“Há uma única doença mortal, um único erro funesto: conformar-se com a derrota, não saber lutar com espírito de filhos de Deus. Se falta esse esforço pessoal, a alma fica paralisada e jaz sozinha, incapaz de dar frutos...”. (São Josemaria Escrivá).

Na lectio de hoje, meditamos no Senhor Jesus que ia para Jerusalém e, ao longo do caminho, procurava ensinar ao povo por onde passava. Mostrava que não bastava seguir regras, normas, para ser aceito por Deus. Era necessário uma transformação interior, era preciso mudar de comportamento, era preciso abrir o coração e se deixar inundar pelo poder do Espírito Santo de Deus, ou seja, nosso esforço pessoal sustentado pela Graça. De nada valem nossas demonstrações externas, se nosso coração não está convencido a amar e a obedecer a Deus.

A Porta é estreita. Temos que nos esforçar para entrar. Temos que deixar tudo o que nos impede de penetrar no prometido Reino do céu, simplificar nossa vida, largando tudo o que é supérfluo. Temos que nos apresentar a Deus como somos, não como os outros desejam que sejamos.

Neste dia pedimos ao Senhor, torna-nos sinceros na vivência da fé, transformados pela Sua presença, ajudando-nos a expressa-la no trato com meus irmãos, garantia da comunhão com Ele. Santo Domingo a todos.

Por Carlos Guilherme

Voltar