Igreja Una Santa Católica e Apostólica


16º Domingo do Tempo Comum

20/07/2013 10:35

Evangelho (Lc 10,38-42)

 

Naquele tempo, 38 Jesus entrou num povoado, e certa mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa. 39 Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor, e escutava sua palavra.

40 Marta, porém, estava ocupada com muitos afazeres. Ela aproximou-se e disse: “Senhor, não te importas que minha irmã me deixe sozinha, com todo o serviço? Manda que ela me venha ajudar!”

41 O Senhor, porém, lhe respondeu: “Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas. 42 Porém, uma só coisa é necessária. Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada”.

 

Lectio Divina

 

O mistério da caminhada com Cristo nesta terra vai muito mais além de somente “estar”, como muitos católicos que vãos as igrejas, ás missas, aos louvores etc e tal, mas não reconhecem a presença de Deus nas suas vidas.

No Evangelho de hoje, Jesus é questionado por Marta o porquê ela está trabalhando e Maria não e  Nosso Senhor sabiamente mostra o que realmente importa: Ele mesmo! No nosso dia-a-dia, sem sentimentalismo, mas acreditando que Deus está presente em sua vida.

Marta era muito zelosa com a casa e com o Convidado, com toda certeza, mas esqueceu de “estar” com Ele, como fez Maria.

Grande é a agitação do mundo, é trabalho, é família, é dinheiro (a falta dele também) e quando nos deparamos já estamos fazendo o sinal da Cruz no término da Santa Missa e nem prestamos atenção no que aconteceu.

 

      Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas.

Porém, uma só coisa é necessária.

 

Reconhecer a presença do Senhor nos dias de hoje não é nada fácil devido às muitas coisas que fazemos e pensamos. Assim como Abraão reconheceu, e não O deixou seguir viagem antes de “comer e lavar os pés” é necessário muito atenção e coração retos para reconhecermos o Senhor e seus enviados.

Em meio a um mundo cheio de turbulências, somos chamados a tomar uma decisão de ficar com a “melhor parte”.

Seria melhor largar tudo o que fazemos e viver só para Deus?

No caminho de Cristo ele sempre nos ensinou a viver com Ele, por Ele e Nele.

Para nós cristãos leigos, a vida em Cristo é muito difícil, mas não é impossível.  A vida em Cristo no meio laical é necessário  viver aquilo que o apóstolo Paulo nos ensina hoje: Completar em nós o que falta a Paixão de Cristo Nosso Senhor.

Você pode estar se perguntando: Mas Cristo não sofreu tudo que tinha de sofrer? Não morreu?

Sim! Cristo sofreu tudo o que tinha de sofrer. Mas São Paulo nos fala logo adiante do Corpo  de Cristo, que é a Igreja, Santa e Imaculada, mas que infelizmente por conta dos contra testemunhos  cristãos, as vezes,  não consegue manifestar toda sua glória.

A Igreja de Cristo é a Esposa do Cordeiro, que o segue onde quer que Ele vá, e nós como membros deste Corpo, não podemos seguir diferente do caminho da Cabeça(Cristo).

No dia a dia, quantas foram às vezes que poderíamos manifestar a santidade da Igreja através de nossos atos e não o fizemos?

Quantas vezes fomos chamados dar o fiel testemunho do amor de Deus nas simples coisas?

Quantos martírios nós recusamos a viver no cotidiano, esperando o martírio cruento (aquele é verdadeiramente derramado sangue)?

Ora, este tipo de martírio somente é dado quem teve a coragem de morrer todos os dias, para si mesmo e sem reservas.

Nos salmos temos as diretrizes para vivermos uma vida digna diante do Senhor:

 

*a prática da justiça;

*a verdade dentro de si;

*a dominação da língua;

*não prejudicar o próximo, nem mesmo com insulto;

*não dar valor ao que pratica o mal;

*não emprestar dinheiro com juros;

*não deixar se subornar contra o inocente.

 

O salmo termina desta maneira: ”Jamais vacilará quem vive assim!”.

 

O roteiro é simplesmente um busca por estar com  Cristo, como Ele mesmo nos ensinou com a Regra de Ouro do Evangelho: “Tudo quanto quereis que os outros vos façam, fazei também a eles.”(Mt 7,12)

Desta forma não temos como nos afastar da vontade e do querer de Deus, fazendo a sua santa vontade.

Peçamos a Deus a graça e a força do Espírito Santo, para que possamos sempre reconhecer os seus e nunca deixarmos de estar com Ele mesmo nos afazeres do dia a dia.

 

Pax Vobiscum

Leonardo de Souza

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!