12º Domingo do Tempo Comum

23/06/2013 14:05

Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.  (Lc 9,18-24)

 

Certo dia, Jesus estava rezando num lugar retirado, e os discípulos estavam com ele. Então Jesus perguntou-lhes: “Quem diz o povo que eu sou?” Eles responderam: “Uns dizem que és João Batista; outros, que és Elias; mas outros acham que és algum dos antigos profetas que ressuscitou”. Mas Jesus perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Pedro respondeu: “O Cristo de Deus”. Mas Jesus proibiu-lhes severamente que contassem isso a alguém. E acrescentou: “O Filho do Homem deve sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia”. Depois Jesus disse a todos: “Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz cada dia, e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; e quem perder a sua vida por causa de mim, esse a salvará”.

Lectio Divina

 

Neste domingo o Senhor Jesus vem nos ensinar de qual é o modo de vida do cristão: A rejeição, a morte e a ressurreição.

A pergunta que o Senhor faz aos discípulos é uma forma de ver até que ponto eles estavam entendendo o que momento que eles estavam vivendo.

No nosso dia a dia, vamos atropelando as coisas, vamos empurrando com barriga a nossa vida e muitas vezes as coisas essenciais são deixadas de lado. Para o mundo, quem Ele, o Senhor Jesus é?

Para muitos é um revolucionário, um anarquista, um questionado da ordem e dos costumes, que veio pra ser um transgressor da lei e das regras.

Para outro um pessoa que veio pra somente falar de amor sem compromisso como se Ele fosse um alienado, que não soubesse de nada e de nenhuma consequência de seus atos, esperando assim sempre uma resposta positiva para os erros que cometemos, como um pai que só sabe adular o filho que não cresceu na responsabilidade.

E para nós, cristão? Para nós que buscamos mesmo nas fraquezas e quedas do dia a dia? Quem é o Cristo para nós, ou como deveria ser?

Ele mesmo nos responde: Ele é aquele que foi rejeitado por levar ao pé da letra o mandamento do Pai, que não quis criar uma revolução contra o Império Romano através das armas, mas soube conquistá-lo através dos testemunhos de sangue de seus mártires.

A rejeição é o primeiro passo para sermos discípulos, pois quando somos rejeitados por causa Dele e do Evangelho estamos seguindo o Caminho, a Verdade e a Vida!

O Mestre sempre vai à frente e Ele foi rejeitado e o é ainda, quando queremos adaptar a sua Palavra a nossa vida quando deveria ser o contrário. O Amor se inclina a nós não para ficar no nosso patamar, mas para nos levar e nos elevar ao Céu.

O segundo passo é a morte! Jesus, o Ungido do Pai não somente sofreu como também morreu verdadeiramente para si e para o mundo. 

Não se preocupava se iria ser querido, pelos seus ou pelo povo. Fazia o que era ordenado: a vontade do Pai.

O caminho do cristão é uma morte todo dia. Uma morte para a vontade da carne, morte para as ideias mundanas que são muitas vezes muito práticas, mas nada santas. Como o aborto, a eutanásia, a contracepção entre outras coisas.

Como já dizia o Apostolo Paulo: Todos os dias somos entregues a morte por causa de Cristo, justamente por não querer a vida deste mundo!

O terceiro passo é a Ressurreição! O primogênito dentre os mortos, Cristo Jesus já nos prometeu e cumpriu em sim mesmo esta promessa!

O prêmio pela rejeição, pelo sofrimento, pelas perseguições, pelos acoites e pela morte é a Ressurreição.

Ao terceiro dia Ele ressuscitou dentre os mortos e “matou” a morte!

Já não podemos ter mais medo, pois Ele levou sobre si a nossa culpa, o castigo e toda a rejeição deste mundo e com isso a morte também.

Levou sobre si nossos pecados pra que possamos viver para Ele, com Ele e Nele.

Peçamos a Deus a graça de vivermos em meio à tribulação deste mundo, tendo a consciência que Ele nos dá toda graça necessária pra vivermos, ou melhor, para morrermos para este mundo e a cada dia nos aproximar da vida eterna.

 

Leonardo de Souza

Pax Vobiscum.

Voltar